MusicasGospelBrasil

Loading...

sábado, 6 de novembro de 2010

ORAÇÃO Parte 1 - MISSÕES URBANAS

 Senhor, visita agora os encarcerados, as prostitutas, os mendigos. Aqueles que se encontram nos hospitais desenganados! Oh Senhor tem misericórdia daqueles que...”

Eu cresci ouvindo orações como estas, que em princípio parecem por demais singelas e atenciosamente autênticas. O problema não está na motivação deste ato, afinal de contas também sou fã do ministério de intercessão. Mas me parece que entre outras precariedades deste protestantismo tupiniquim, isto também soa como deficiente e ineficiente.
É como se quiséssemos inverter a pirâmide de ponta á cabeça. Deus nos dá uma ordem e nós “encarecidamente” devolvemos á Ele. Acabamos por querer transformar Deus em nosso missionário particular, quando deveria ser o inverso. Só falta alguém orar assim: “ Senhor, vá por todo o mundo e pregue o seu evangelho a toda criatura.” E aí Deus diria a você: “ Ei! Espera aí, esta ordem foi eu que dei, e dei ela a você espertinho, não pode me devolvê-la!”.
Dizemos a Deus pra fazer aquilo que Ele nos comissionou a fazer, e o que por sinal não estamos muito afim de realizar. Este evangelho é conveniente demais. Pedimos a Ele para alimentar os famintos, consolar os fracos, ajudar os pobres, encorajar os encarcerados, e pronto, está tudo resolvido, e daí voltamos para a nossa vidinha mais ou menos.
Deus na sua onipotência pode fazer tudo, a qualquer momento, em qualquer lugar, da maneira que bem entender, mas em sua condescendência Ele se permite necessitar de seus filhos e oferecer a eles a honra de representá-lo. Assim em toda a saga bíblica Deus tem se permitido utilizar pessoas de carne e osso para cumprir seus desígnios e precisar deles para abençoar outras pessoas. No antigo testamento toda vez que Deus agiu, agiu por meio de uma pessoa ( um corpo). Quando Ele veio ao mundo, utilizou um corpo para cumprir seus planos. E mais, a bíblia também diz: “Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?” 1 Coríntios 6:19
Assim Deus age através de pessoas, homens e mulheres como eu e você para o trabalho de missões. O evangelho será anunciado através de corpos humanos, de seres físicos e não celestes.
Já estou “careca” (rs rs rs ) de tanto ouvir desta geração que é doutrinada por telepastores dizer: “ Deus chamou uns pra pregar e outros para bancar os que irão pregar”. Não que isso não seja em parte verdade. Mas deve ocorrer de forma setorizada e específica como é o caso das missões transregionais e transculturais. Mas de modo em abrangente eu encontro muita dificuldade de achar na bíblia uma defesa para esta afirmação. Jesus disse: IDE! E este IDE é para todos. Ele não disse para uns e irem e outros ficarem. É todo mundo indo, é todo mundo pregando, é todo mundo evangelizando. Este é um chamado para toda a igreja, em tempo e fora de tempo. Missões Urbanas é um desafio para todos os membros do corpo, e não tem essa de dizer: “ Este não é o meu ministério, eu não sirvo para este chamado.”
Missões Urbanas não é mais um novo departamento da igreja e nem mesmo um ministério. É toda igreja indo. É a frente de batalha onde todos os departamentos desembocam. Por isso todos devem IR. Há lugar,( e como tem!) para todos nesta batalha. Há necessidade de estratégias,de recursos, de ORAÇÃO, mas preponderantemente de PESSOAS nesta empreitada.
As vidas estão a espera,nas esquinas, nas praças, nos hospitais, nas casas, nas comunidades, nos presídios... E quem deve ir é você, sou eu, somos nós. Quando você FOR, será o mestre indo em seu corpo. Ele IRÁ em VOCÊ. Porque você é a igreja dEle.
Quando você faz MISSÕES é Cristo fazendo MISSÕES. Quando você testemunha é a voz dEle falando aos perdidos. Quando você VAI é Ele INDO. E se você não for...

ENVIADO POR :  Leandro Marques – MISSÕES URBANAS

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

“APAIXONADOS ?” e “APAIXONADOS ?” parte 2 - MISSÕES URBANAS !

"E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento." (Mateus 22:37)
A maioria de nós conhece este versículo e recita ele como “crentes” convictos que somos. Em nossas canções declaramos este “amor consumidor” e “paixão” por Jesus. Será que não estaria escondida aí uma grande farsa evangélica? Uma farsa que corrói o corpo de Cristo. Uma farsa tão conveniente que ás vezes passa batido. Esta farsa diz respeito àquilo que representamos para Deus e do que Ele de fato representa para nós. ("Sou do meu Amado e Ele é meu..."). Estamos sempre dispostos sem pensar duas vezes á declarar esta “paixão” por Ele, dizer que Ele é tudo em nossas vidas ,sem notar que isto pode ser uma grande mentira.
Durante toda a semana olhamos para coisas que não devíamos olhar. Fazemos coisas que não deveríamos fazer. Indo a lugares que não devíamos ir. Pensando coisas que não eram para ser pensadas. 
Chega o domingo, e aí temos a coragem e falsidade de levantar as nossa mãos e ... ... mentir ! Estamos mentindo para quem? Talvez para a pessoa que está ao nosso lado que, também, está participando do mesmo jogo de decepção como nós? Ou talvez para o Deus que tudo vê e tudo sabe? Ele nos vê pelo que somos: adúlteros espirituais. Gastamos seis dias da semana correndo atrás de outros amados, dos quais temos a convicção de que realmente não amamos, mas, nunca achamos razão ou força suficiente para deixá-los. Deus não está enganado. E nós também, se pararmos para pensar, não estamos. 
Em todos os lugares em que vou, declaro publicamente a minha paixão pela minha esposa. Então vem a questão: “O que é paixão?” Paixão é um amor profundo que consume o indivíduo completamente até o mais fundo dos seus pensamentos. Um amor que é sempre presente. Não importa aonde eu esteja, meus pensamentos sempre se voltam para a minha esposa. Meu amor por ela tem me consumido. Agora, imagine que, depois de declarar para você o meu amor e paixão pela minha esposa, eu também revele para você que gasto em média 20 minutos com ela todo dia e, nos fins de semana, saio com algumas outras mulheres das quais eu realmente não amo, mas não consigo deixá-las. Quem acreditaria em mim? Você sem dúvida iria olhar nos meus olhos e falar, “MEU AMIGO, VOCÊ É UM MENTIROSO!” E você estaria certo em falar assim. Isso não é paixão. Isso nem é amor, mas talvez possa ser considerado como um aproveitamento de conveniência. E você, quanto tempo você gasta com Ele (a "paixão e Amado da sua vida") todo dia? E quantos outros amados você tem na sua vida? Até quando vamos ter a coragem de ficar em pé e declarar em alta voz aquilo que sabemos ser uma grande mentira? O que tem acontecido com a igreja de Deus? O que tem acontecido com a paixão, amor verdadeiro e indiviso pelo nosso Senhor?
Estamos correndo o risco de deixar de ser um ajuntamento de adoradores e amados de Deus, para se tornamos um ajuntamento de "adúlteros" espirituais ( essa palavra: “adúltero” parece ser forte demais, mas deixe-me explicar melhor). Qual palavra deveria ser usado para uma geração como a nossa que corre atrás de outros amados e de graça se entrega, só para depois, sem vergonha, voltar ao seu marido, ainda molhada do suór do outro para declarar a sua paixão e amor por ele? 
Aonde nós erramos? Desde quando começamos a nos enganar e acreditar que Deus ficaria satisfeito com a maior parte dos nossos corações? Imagine um rapaz que proponha casamento àquela que ama e ofereça 90% (e isso é um grande exagero em nosso caso) do seu amor a ela. Qual tipo de menina seria tão tola ou desesperada de aceitar uma proposta desta? Eu sei que a minha esposa quer 100% do meu coração e ela não vai aceitar nada menos - e ela nem deve. Se eu venho querendo negociar ou talvez dividir o meu amor com outra, haverá problemas. Deus é do mesmo jeito e ainda mais. Minha esposa nunca deu a sua vida por mim, mas Deus deu o seu único Filho para me salvar. Deus não está interessado em parte do seu coração. Ele quer tudo. Deus não vai aceitar ou ficar satisfeito com nada menos do que 100%. E não devemos oferecer nada menos.

"Eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso (ciumento)." (Ex 20:5) 
Amor que não é 100%, não é amor. E paixão que é menos do que uma entrega total, nunca devia ser declarada, cantada e nem menos falada, porque nada mais é do que uma mentira pintada. Temos que nos arrepender do nosso adultério espiritual, por nossos pequenos 20 minutos oferecido toda manhã em nome do “amor”. Precisamos falar a verdade, ou então não falar nada. Seria melhor ficarmos quietos na igreja do que declarar mentiras para Aquele que deu a sua própria vida por nós. Seria bom se a igreja inteira pudesse chegar a esse ponto. Talvez por um tempo, teríamos cultos bem silenciosos - a não ser por algumas pessoas chorando baixinho e derramando lágrimas de arrependimento. Talvez assim, Deus virá e salvará o seu povo.


Aonde nos achamos hoje em dia, como igreja, é muito perigoso. Estamos correndo perigo de nos enganar até uma eternidade no inferno. Uma salvação sem paixão por Aquele que te salvou não é salvação. E um amor que não te consome não é amor. Se está faltando em você uma paixão ou amor consumidor por Jesus, talvez esteja faltando uma coisa maior: uma conversão de verdade. Eu falo isso não para te julgar, mas, para te exortar. Muitos falam do seu amor por Deus com suas bocas, mas demonstram um amor pelo mundo.


"Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos a ele, e faremos nele morada." (João 14:23)

"Porque não há boa árvore que dê mau fruto, nem má árvore que dê bom fruto. Porque cada árvore se conhece pelo seu próprio fruto; pois não se colhem figos dos espinheiros, nem se vindimam uvas dos abrolhos." (Lucas 6:43-44)

Um pregador certa vez disse a D.L.Moody: “ O mundo ainda não viu o que Deus pode fazer através de uma pessoa completamente dedicada a Ele.” Moody respondeu: “ Eu serei essa pessoa”.

Deus está procurando gente assim. Porque só assim alcançaremos o mundo perdido, só assim faremos missões, só assim o mundo verá Cristo em nós. Deus está procurando um povo santo e separado que não O adorará somente com seus lábios, mas, também com seus corações. Por acaso, Ele achará isso em você?

ENVIADO POR :    Leandro Marques – MISSÕES URBANAS

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Deus Responde - Cassiane


Quando o inverno parece infinito,

Deus traz o verão.

Quando não existe mais fé, Deus diz: Acredita!

Quando estamos a um passo do inferno,

Deus dá a direção do céu.

Quando não temos nada,

Deus nos dá tudo.

Quando alguém diz não somos nada,

Deus nos diz que somos mais do que vencedores.

Quando se torna difícil caminhar, Deus nos carrega no colo.

Quando não há possibilidade, Deus faz milagre.

Quando só há morte, Deus nos faz persistir.

Quando a noite parece não ter fim,

Deus faz nascer o amanhecer.

Quando caímos num profundo abismo,

Deus estende sua mão e nos tira de lá.

Quando tudo é dor, Deus a dá o refrigério.

Quando o calor da provação é grande,

Deus dá a sombra de sua presença.

Quando a doença assola,

Deus é quem cura.

Quando o impossível se levanta,

Deus o torna possível

Quando parece ser o final,

Deus dá novo começo.

Quando a aflição quer persistir,

Deus nos envolve em paz.