MusicasGospelBrasil

Loading...

sábado, 22 de outubro de 2011

A PLURALIDADE DOS NOMES DO ESPÍRITO SANTO.



LEITURA BÍBLICA: João 1.29-33; Romanos 8.9-11, 14,15.
João 1.29 No dia seguinte, João viu Jesus vindo na direção dele e disse: — Aí está o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! 30 Eu estava falando a respeito dele quando disse: “Depois de mim vem um homem que é mais importante do que eu, pois antes de eu nascer ele já existia.” 31 Eu mesmo não sabia quem ele era, mas vim, batizando com água para que o povo de Israel saiba quem ele é. 32. João continuou: — Eu vi o Espírito descer do céu como uma pomba e parar sobre ele. 33 Eu não sabia quem ele era, mas Deus, que me mandou batizar com água, me disse: “Você vai ver o Espírito descer e parar sobre um homem. Esse é quem batiza com o Espírito Santo”.
Romanos 8.9-11, 14,15.{9} 9 Vocês, porém, não vivem como manda a natureza humana, mas como o Espírito de Deus quer, se é que o Espírito de Deus vive realmente em vocês. Quem não tem o Espírito de Cristo não pertence a ele. 10 Mas, se Cristo vive em vocês, então, embora o corpo de vocês vá morrer por causa do pecado, o Espírito de Deus é vida para vocês porque vocês foram aceitos por Deus. 11 Se em vocês vive o Espírito daquele que ressuscitou Jesus, então aquele que ressuscitou Jesus Cristo dará também vida ao corpo mortal de vocês, por meio do seu Espírito, que vive em vocês. 14 Pois aqueles que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. 15 Porque o Espírito que vocês receberam de Deus não torna vocês escravos e não faz com que tenham medo. Pelo contrário, o Espírito torna vocês filhos de Deus; e pelo poder do Espírito dizemos com fervor a Deus: “Pai, meu Pai!”.

INTRODUÇÃO
Alguém disse: “as palavras são veículos inadequados para transmitir a verdade. Quando muito, apenas revelam a metade das profundidades do pensamento”. Deus achou por bem ilustrar com símbolos o que de outra maneira, devido à pobreza de linguagem humana, nunca poderíamos saber. Os seguintes símbolos são empregados para descrever as operações do Espírito Santo.

1. A PLURALIDADE DOS NOMES DO ESPÍRITO SANTO.
Ele é conhecido como Espírito de Deus, Espírito de Cristo, Consolador, Espírito Santo, santo, porque é o Espírito do Santo, e porque sua obra principal é a santificação. Necessitamos dum Salvador por duas razões: para fazer alguma coisa por nós, e alguma coisa em nós. Jesus fez o primeiro ao morrer por nós; e pelo Espírito Santo ele habita em nós, transmitindo às nossas almas a sua vida divina. O Espírito Santo veio para reorganizar a natureza do homem e para opor-se a todas as suas tendências más.
Espírito da promessa. O Espírito Santo é chamado assim porque sua graça e seu poder são umas das bênçãos principais prometidas no Antigo testamento. (Ezeq .36.7; Joel 2.28). A prerrogativa mais elevada de Cristo, ou o Messias, era a de conceder o Espírito, e esta prerrogativa Jesus a reivindicou quando disse: “Eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai” (Luc. 24.49; Gál. 3.14).
Espírito da verdade. O propósito da Encarnação foi revelar o Pai; a missão do Consolador é revelar o Filho. Ao contemplar-se um quadro a óleo, qualquer pessoa notará muita beleza de cor e forma; mas para compreender o significado intrínseco do quadro e apreciar o seu verdadeiro propósito precisará de um intérprete experiente.
O Espírito Santo é o intérprete de Jesus Cristo. Ele não oferece uma nova e diferente revelação, mas abre as mentes dos homens para verem o mais profundo significado da vida e das palavras de Cristo. Como o filho não falou de si mesmo, mas falou o que recebeu do Pai, assim o espírito não fala de si mesmo, como se fosse fonte independente de conhecimento, mas declara o que ouviu daquela vida íntima da Divindade.
Espírito da graça. (Heb. 10.29; Zac. 12.10) O Espírito Santo dá graça ao homem para que se arrependa, quando peleja com ele; concede o poder para santificação, perseverança e serviço. Aquele que trata com desdém ao Espírito da graça, afasta o único que pode tocar ou comover o coração, e assim se separa a si mesmo da misericórdia de Deus.
Espírito da vida. (Rom. 8.2; Apoc 11.11). Um credo antigo dizia: “creio no Espírito Santo, o Senhor, e Doador da vida”. O Espírito é aquela Pessoa da Divindade cujo ofício especial é a criação e preservação da vida natural e espiritual.
Espírito de adoção. (Rom. 8.15) Quando a pessoa é salva, não somente lhe é dado o nome de filho de Deus, e adotada na família divina, mas também recebe dentro de sua alma o conhecimento de que participa da natureza divina. Assim escreve o bispo Andrews: “Como Cristo é nossa testemunha no céu, assim aqui na terra o Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus”.

2. OS SÍMBOLOS BÍBLICOS.
A Bíblia é a revelação escrita de Deus ao homem. Para torna-la acessível à compreensão, o Senhor utilizou os recursos da linguagem e da cultura humana para expressar sua vontade.
Os símbolos contribuem para o conhecimento da verdade (1 Pe 1.21). Ele transmitiu este conhecimento, através da sua Palavra em linguagem humana, ao utilizar os recursos da nossa compreensão (Ef 3.18). Quando os discípulos de Jesus tiveram dificuldade para entender as Escrituras, Ele lhes abriu o entendimento para as compreenderem (Lc 24.45). Nada seria facilmente entendido, senão pela linguagem humana. Por isso, a Bíblia é cheia de tipos e símbolos para estas verdades espirituais.
Jesus usou a simbologia. Ele se declarou a porta, a luz, o caminho, o pão do céu, etc. (Jo 6.35; 8.12; 10.9; 14.6). A própria Bíblia é comparada à espada (Hb 4.12), à lâmpada (Sl 119.105), ao alimento(Jo 23.12), ao leite(1Co 3.2; Hb 5.13; 1Pe 2.2), ao mel(Sl 19.10), ao fogo e ao martelo(Jr 23.29),à semente (Is 55.10.11; Lc 8.11), ao espelho (2Co 3.18). A igreja também é comparada ao edifício e à lavoura (1Co 3.9), ao rebanho (At 20.28), ao castiçal (Ap 1.13,20), etc.
Os diversos símbolos do Espírito Santo. Os símbolos falam da diversidade de operações do Espírito Santo, sem afetar a sua unicidade e a sua imutabilidade. De fato, eles representam as características da natureza do Espírito Santo. São modos especiais para compreendermos as suas operações, representadas por coisas do mundo físico.

3. OS SÍMBOLOS DOS ESPÍRITO SANTO.
Fogo. (Is. 4.4; Mt 3.11; Luc 3.16) O fogo ilustra a limpeza, a purificação, a intrepidez ardente, e o zelo produzido pela unção do espírito. O Espírito é comparado ao fogo porque o fogo aquece, ilumina, espalha-se e purifica. Jer. 20.9.
Vento. (Ezeq. 37.7-10: João 3.8; At 2.2) O vento simboliza a obra regeneradora do Espírito e é indicativo da sua misteriosa operação independente, penetrante, vivificante e purificante.
Água. (Êx 17.6; Ezeq 36.25-27; 47.1; João 3.5). O Espírito é a fonte da água viva, a mais pura, e a melhor, porque ele é um verdadeiro rio de vida, inundando as nossas almas, e limpando a poeira do pecado. O poder do Espírito opera no reino espiritual o que a água faz na ordem material. A água purifica, refresca, sacia a sede, e torna frutífero o estéril. Ela purifica o que está sujo e restaura a limpeza. É um símbolo adequado da graça divina. A água é um elemento indispensável na vida física; o Espírito Santo é um elemento indispensável na vida espiritual.
Selo. (Efés. 1.13; 2Tm 2.19). Essa ilustração exprime os seguintes pensamentos 1. Possessão. A impressão dum selo dá a entender uma relação com o dono do selo, e é um sinal seguro de algo que lhe pertence. Os crentes são propriedade de Deus, e sabe-se que são pelo Espírito que neles habita. O seguinte costume era comum em Éfeso no templo de Paulo. 2) A idéia de segurança também está incluída. O Espírito inspira um sentimento de segurança e certeza no coração do crente. (Rm 8.16). Ele é o penhor ou as primícias da nossa herança celestial, uma garantia da glória vindoura. Os crentes têm sido selados, mas devem ter cuidado que não façam alguma coisa que destrua a impressão do selo. (Efés. 4.30).
Azeite. O azeite é, talvez, o mais comum e mais conhecido símbolo do Espírito. Quando se usava o azeite no ritual do antigo Testamento, falava-se de utilidade, frutificação, beleza, vida e transformação. Geralmente era usado como alimento, para iluminação, lubrificação, cura, e alívio da pele. Da mesma maneira, na ordem espiritual, o Espírito fortalece, ilumina, liberta, cura e alivia a alma.
Pomba. A pomba, como símbolo, significa brandura, doçura, amabilidade, inocência, suavidade, paz, pureza e paciência. Entre os sírios é emblema dos poderes vivificantes da natureza. Uma tradição judaica traduz Gên. 1.2 da seguinte maneira. “O Espírito de Deus como pomba pousava sobre as águas.”
Cristo falou da pomba como a encarnação da simplicidade, ima das belas características dos seus discípulos.

Nenhum comentário: